CONTADOR

terça-feira, 3 de março de 2009

Serenidade



Serenidade


Uma gaivota branca pairava
sobe o mar
leve, mansa, plena.
Desenhou doces palavras
no ar
e atirou raminhos brancos
de flores
pequeninas e ágeis
como ela .
Certa amena claridade
aromatizava
frágeis esperanças...
calmos louvores.
O esvoaçar dela
enfeitava
o espaço imenso
enquanto um pequeno sino
de som intenso
chamava nossa atenção
para o início da sessão.

(Homenagem a Dulce Matos,figura de elevada importância na nossa cultura, falecida a 15 de Fevereiro de 2009.
Fundadora da Tertúlia - CAIS DE CULTURA)


Lisboa, 22 de Fevereiro de 2009
Liliana Josué

Sem comentários: