CONTADOR

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

GRITO DE RAIVA




(Imagens tiradas da internet)

Estatura média mas esguia
ainda jovem e bonita
cabelo brilhante, solto, tom de cobre
corpo elegante em roupas baratas.
Personagem que vive numa estranha casa fria
luxuoso local de vagabundos
bairro de nobres vivendas em chapa e ferrugem
tristes, solitárias, perdidas no mundo.
Os seus alicerces são ferros de pneus roubados
por outros desgraçados
iguais aquela mulher de fuligem .
Bancos desventrados e furados
molas partidas
esponjas caídas...
Ela, estendia roupa pessoal
numa corda improvisada
esticada numa rede em vez de parede
(absurdo e surrealista estendal).
Grito fundo, quase selvagem
mãos trémulas de raiva espetando a mola:
- Basta, não quero mais esmola!
Atirava impropérios e gesticulava sozinha
subindo na sua revolta:
- ... Direito a pequeno almoço, almoço e jantar
e cinco euros por dia...
(outra oportunidade assim não volta).
Atirou os alguidares ao chão a esbracejar
deu um sacão numa cadeira de plástico
com almofada para à noite se sentar e poder imaginar
que a sua casa era um palácio de cristal
e o cemitério de automóveis um jardim
onde nessas horas, afinal
se sentia princesa de folhetim.

Liliana Josué

2 comentários:

Cecília Rodrigues disse...

Parabéns Liliana ...teu blog está lindo!!
Beijosss
Cecília

Liliana Josué disse...

Obrigada Cecília pelo seu simpático comentário.
Um grande beijo.