CONTADOR

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

ABORDAGEM AO TÍTULO DO LIVRO “EU HEI-DE AMAR UMA PEDRA” DE ANTÓNIO LOBO ANTUNES



Altos penhascos
lívidos horizontes
sem esperança.
Antepassados mortos
pelos cascos do tempo.
Choro-os contigo
no desconsolo da vida
neste fadário de caminhos
estreitos e tortos.
Contigo ajoelho e rezo orações
de peito descoberto, ao vento
com meu rosário de pétalas e espinhos.
Já pouco sei gostar.
Num impulso derradeiro
aperto a tua mão.
Num espesso olhar
entendes o meu gesto
e a sombra carregada cresce… medra.
Ambos sabemos
que nos é proibida a felicidade .
E neste espanto resignado
erguemos nossas vozes
e gritamos em uníssono tom cansado:
- Então...
eu hei-de amar uma pedra.

Liliana Josué

Sem comentários: