CONTADOR

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

EGOCENTRISMO



Não quero escritos intimistas
não quero o papel crivado de “eus”
mas soltar-me de tais amarras
opressoras, individualistas
que me asfixiam com os seus egocentrismos.
Vou ser alguém liberta disso tudo
solta de todos os sufocantes egoísmos
do meu ego
e nego
a mim própria
qualquer retrocesso de pensamento
ou atitude
e vou abraçar o mundo
no seu movimento inconsciente
onde a virtude está precisamente
no seu rodar mudo.
Mas também sei que no seu “livre” rolar
eu vou lá estar
sempre presente.

Mas...voltei novamente ao meu egocentrismo.


Liliana Josué

4 comentários:

Marcelino disse...

O mundo no seu rodar mudo. Isso é muito bonito, Liliana. Se eu fosse você, encerraria nesse trecho o poema. Estaria lindo. O trecho que inicia com "Mas também sei...", eu o excluiria...assim não haveria volta ao egocentrismo.
Um abraço brasileiro.

Liliana Josué disse...

Olá Marcelino

Obrigada pelo seu comentário.
É capaz de ter razão na observação que fez ao poema sob o ponto de vista estético. Mas saiu assim....

Um abraço português.

almariada disse...

Olá Liliana, encontrei-te nas ondas da net e faço uma (quase) citação do seu poema e post no meu blog, com links, claro. Espero que gostes! :)
(se não é só dizer e apago)
Um abraço

Liliana Josué disse...

Olá Almariada

Agradeço o seu interesse, foi simpático da sua parte.
Abraço.