CONTADOR

sábado, 29 de outubro de 2011

VIAGEM




O tempo sempre jovem
Correu duma forma desdenhosa
e ninguém o segurou
nem o pássaro que voou

No furor da viagem
consigo levou
enredos de vidas
promessas
ideias
vontades perdidas

Nem um mastro de navio sobrou
ou tronco de árvore.
O tempo tudo levou na sua mão
lentamente
rapidamente
mas tudo levou

Talvez fique a ilusão
duma eternidade.

Liliana Josué

Sem comentários: