CONTADOR

domingo, 20 de outubro de 2013

BAÇO QUE FERE

 
Poema dedicado à Eva pela sua gravidez de alto risco

BAÇO QUE FERE


Desfoca-se o tempo e as coisas...
estado tenso e confuso...
desloca-se a medo
vacila nos passos que dá.
Seu corpo profuso de mudanças
obriga tremuras
de medos e esperanças.

Rosto pálido
olhar cansado
e o corpo que dói…

Ansiedade, tanta ansiedade
mas a brisa que sopra lá fora
sussurra ternuras de alento
e o cálido sol afaga-lhe as mãos

Dar vida também pode ser assim.

01/09/2013
Liliana JosuéVer mais
Ver mais

Sem comentários: